fbpx

Apresenta: Da Terra ao universo.
Planetário Digital e
Exposição de Astrofotografia.

APENAS 40 VAGAS!
GARANTA SEU INGRESSO AGORA

Countdown Expired!

Exibição do Planetário com o Filme
DA TERRA AO UNIVERSO

ESO/ Da Terra ao Universo
Programa familiar

O céu noturno, belo e misterioso, inspirou admiração e foi objeto de histórias de fogueiras e mitos antigos desde que existem pessoas. O desejo de compreender o Universo pode muito bem ser a experiência intelectual compartilhada mais antiga da humanidade. No entanto, apenas recentemente começamos realmente a entender nosso lugar no vasto cosmos.


Para conhecer esta jornada de descoberta celeste, desde as teorias dos antigos astrônomos gregos até os maiores telescópios de hoje, convidamos você a experimentar Da Terra ao Universo . Esta impressionante viagem de 30 minutos através do espaço e do tempo - o primeiro filme de planetário fulldome para download gratuito do mundo - transmite, por meio de imagens e sons brilhantes, o Universo revelado a nós pela ciência.


Dirigido pelo jovem cineasta grego Theofanis N. Matsopoulos, e apresentando uma trilha sonora arrebatadora do compositor norueguês Johan B. Monell, os espectadores podem deleitar-se com o esplendor dos vários mundos do Sistema Solar e a ferocidade do sol escaldante. Da Terra ao Universo sai então de nossa casa para levar o público aos coloridos locais de nascimento e cemitérios das estrelas, e ainda mais longe, além da Via Láctea, à imensidão inimaginável de miríades de galáxias. Ao longo do caminho, o público aprenderá sobre a história da astronomia, a invenção do telescópio e os telescópios gigantes de hoje que nos permitem sondar cada vez mais fundo o Universo.

O diretor Theofanis N. Matsopoulos descreveu o filme como “uma jornada colorida e inspiradora… os visuais são impressionantes e realmente falam por si ao mostrar o quão longe a ambição da humanidade nos levou em termos de observação e compreensão do Universo” .

Exposição de Astrofotografia
PAISAGENS CÓSMICAS:
DA TERRA AO BIGBANG

PAISAGENS CÓSMICAS: DA TERRA AO BIG BANG

Em 1609, Galileu apontou seu telescópio para a Lua e enxergou claramente suas crateras e montanhas. Com o aperfeiçoamento do telescópio, fronteiras cada vez mais distantes foram se abrindo: novos planetas, aglomerados de estrelas, galáxias e aglomerados de galáxias e a cortina de luz gerada pelo Big Bang.

O uso de detectores permitiu a captação de imagens invisíveis ao olho humano, como os raios X, infravermelho e ondas de rádio. Elas revelaram condições físicas desde temperaturas extremamente altas até quase o zero absoluto, astros com densidades maiores que a do núcleo atômico ou até o vácuo quase absoluto. O telescópio permitiu acessar esses verdadeiros laboratórios de Física que jamais poderemos replicar na Terra. Por meio dele descobrimos a origem dos átomos, da água, de moléculas orgânicas e esperamos, em breve, encontrar sinais de vida. Nos demos conta de que temos uma grande intimidade com os astros.

Em contrapartida, descobrimos recentemente que a matéria e a energia que formam os  planetas, estrelas e galáxias somam apenas 4% do universo. Em sua maior parte, o universo é constituído por um tipo de matéria (“matéria escura”) e um tipo de energia (“energia escura”) das quais temos apenas indicações indiretas. Quanto mais longe um astro está, mais tempo sua luz demora para chegar até nós.

Assim, quanto mais longe penetramos no espaço, mais fundo enxergamos o passado. O telescópio nos permite observar as diversas etapas evolutivas do universo, até quase sua origem, tornando-o um objeto não de três, mas de quatro dimensões (três de espaço e uma de tempo). Portanto, tudo o que vemos já aconteceu!


Atualmente, as revoluções astronômicas se dão em escalas de décadas e tudo indica que vão continuar se acelerando. Nossa exploração do universo está apenas no começo. Por isso é fundamental manter a escuridão do céu noturno, combatendo a poluição luminosa. Evitar o desperdício de energia luminosa é a receita para preservar esse patrimônio da humanidade.

Paisagens Cósmicas (A. Damineli, 2009)

Bônus: Observatório Solar

(Se as condições meteorológicas permitirem)

LOCAL:

Av. Rio Branco, 193. Centro – Recife, PE

SAR SEM FUNDO 150

A Sociedade Astronômica do Recife
Foi fundada em 1973 pelo Padre Holandês Jorge Polman

E até hoje se dedica à divulgação científica através de eventos, observações, cursos e palestras. Além de possuir um planetário móvel digital.

Realizamos excursões para observações em locais de condições excepicionais.

Já formamos mais de 2.000 alunos em nossos cursos presenciais e mais de 1.000 em nosso curso online.

APENAS 40 VAGAS!
RESERVE SEU INGRESSO AGORA!

MEIA ENTRADA PARA TODOS

APENAS
R$20,00

Countdown Expired!